Baleias-Francas em Santa Catarina

13/04/2018

Descubra onde ver esse espetáculo da natureza que acontece de julho a novembro na costa do sul do Brasil

 

Se tem uma coisa que encanta a todos os olhares é o espetáculo das baleias-francas. Todos os anos, durante a temporada de reprodução, elas deixam as águas frias da Antártida e buscam o aconchego do litoral catarinense para dar à luz e amamentar os seus, não tão pequenos, filhotes, que já nascem medindo entre 4 e 5 metros de altura e bem fortinhos, pesando 5 toneladas.

Nada que impressione tanto quanto o tamanho das mamães, que passam facilmente dos 17 metros de comprimento e das 60 toneladas. Uma família realmente de peso, mas muito dócil e curiosa, que se aproxima da areia sem medo algum, facilitando aos espectadores avistá-las quando elas resolvem aparecer.

Museu da baleia de Imbituba: a história das baleias-francas no Brasil

Com a nossa consciência ambiental à flor da pele parece até difícil acreditar, mas por centenas de anos a caça às baleias-francas era uma das principais atividades econômicas do Brasil. Por ser um animal muito dócil  e de fácil aproximação, elas se tornaram alvo fácil e muito valorizado, principalmente pelo seu óleo.

Felizmente, com a proibição da caça às baleias em 1987, isso ficou para traz e, hoje, a antiga estação baleeira foi transformada no Museu da Baleia de Imbituba, que conta a história desde seus dias tristes, até o presente de preservação.

Desde então, a luta para garantir a sobrevivência das baleias-francas se tornou prioridades no litoral de Santa Catarina. Nos anos 80, foi criado o Projeto Baleia Franca, que desenvolve diversas ações buscando recuperar a população das baleias no Atlântico Sul Ocidental, que pouco mais de duas décadas depois criou a APA (Área de Proteção da Baleia Franca), que vai desde o sul de Florianópolis até a divisa do Rio Grande do Sul.

A Rota da Baleia-Franca

A Rota da Baleia-Franca

Já que elas deslizam por vários meses tão pertinho da areia, você deve estar pensando que basta dar uma passadinha na praia para se deparar com uma baleia-franca nadando com seus filhotes, não é mesmo? Infelizmente não é bem assim.

Como todo fenômeno da natureza, o encontro com uma baleia-franca não depende somente da nossa vontade e não tem hora, nem local marcado. Mas, se você estiver em Imbituba, Laguna ou Garopaba, que são as três cidades que fazem parte da Rota da Baleia-franca, é bem provável que você dê de cara com elas.

É claro, que isso vai exigir um pouco de paciência, mas pode ficar tranquilo que nenhum sacrifício. O ideal é ficar pelo menos 4 dias na região, o que com as belezas das praias, como o Rosa, é uma tarefa mais do que agradável.

O Instagram do Projeto Baleia-Franca (@baleiafranca) sempre posta em seus stories onde as baleias estão, facilitando a busca. Além disso, existe também um grupo de Whatsapp onde os guias da região trocam informações sobre o paradeiro das baleias constantemente, então, para multiplicar as chances uma boa dica é contratar um guia.

Dicas de observação: como identificar uma baleia-franca

Dicas de observação como identificar uma baleia-franca

As baleias-francas podem ser facilmente reconhecidas da praia exatamente pelo que elas não tem: a nadadeira dorsal. Como elas são predominante pretas, incluindo a cauda, é bom ficar ligado na nadadeira peitoral em formato trapezoidal, normalmente exposta quando a sua dona salta, vira de lado ou de barriga para cima.

Outra característica marcante é o seu veloz borrifo de água em forma de “V”, um verdadeiro espetáculo à parte. Sem falar da beleza que é ver os filhotes saltando ao lado das mães mar afora.

 

 

Se você ainda não teve essa experiência, não marque bobeira. Aproveite que a temporada está chegando, reserve a sua viagem e o seu encontro com essa fantástica força da natureza. Você vai se apaixonar e querer voltar todos os anos, com certeza!